Expedição Rio Paraguai, Suas Águas, Sua Gente

Publicado em 11/07/2003
Esta expedição foi realizada no final de abril de 2002 e percorreu um trecho de 680 km ao longo do Rio Paraguai entre Cáceres, MT e Corumbá, MS com um grupo de representantes de organizações socioambientais e pesquisadores do Brasil e exterior. A iniciativa contribuiu para o fortalecimento da articulação regional e para a identificação de diretrizes para a conservação e desenvolvimento do Pantanal e do sistema de Áreas Úmidas do Rio Paraguai e Paraná Médio e Inferior.

A bordo da embarcação Araés V, 15 pesquisadores, representantes da sociedade organizada e ambientalistas partiram de Cáceres, o berçário do Pantanal, no Estado de Mato Grosso - Brasil, no dia 25 de abril e chegaram dia 30 em Corumbá, no extremo Sul do Pantanal, no Estado de Mato Grosso do Sul. Durante a expedição a equipe coletou informações e imagens do atual estado de conservação da região e os principais impactos ambientais que a navegação de comboios de barcaças está causando na vegetação aquática e ciliar do rio Paraguai. Informações sobre as atuais condições de vida, de moradia, acesso à educação e a visão da população ribeirinha sobre o Pantanal também foram coletadas e deram subsídios a um relatório preliminar para a formulação de um diagnóstico destas comunidades.

A Expedição Rio Paraguai, Suas Águas, Sua Gente entregou dia 30 de abril de 2002, no município de Corumbá, uma carta ao então ministro de Meio Ambiente do Brasil, José Carlos Carvalho. O documento pede a criação de "um forte compromisso dos governos (do Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai) e da sociedade civil da Bacia do Prata para a integração de todo o sistema de áreas úmidas Paraguai-Paraná, desde o grande Pantanal da Bacia do Alto Paraguai, incluindo os Pantanais do Paraguai médio e inferior, o Paraná médio e inferior até o rio da Prata, em uma Reserva da Biosfera Internacional conjunta do Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai".

A expedição foi realizada como parte do projeto "Mobilização para a Conservação das Áreas Úmidas do Pantanal e Bacia do Araguaia", coordenado pela Coalizão Rios Vivos com apoio financeiro do Comitê Holandês para a União Mundial de Conservação da Natureza (NC/IUCN/SWP.