Navegação no rio Paraguai ameaça margens e diques naturais

Fonte: ASCOM MMA 02/09/03

Publicado em 03/09/2003
As imagens 1, 2 e 3 foram feitas próximas da Reserva Ecológica Taiamã, uma unidade de conservação do governo federal que está localizada no Pantanal mato-grossense. Segundo os tripulantes da II Expedição Rio Paraguai, Suas Águas, Sua Gente, este é o trecho mais castigado pela navegação dos comboios de barcaças.

Depois de percorrer por nove dias o rio  Paraguai, entre as cidades de Cáceres (MT) e Corumbá (MS), a expedição organizada pela Rede Pantanal e Coalizão Rios Vivos com apoio do Programa Pantanal do MMA, Programa Pantanal para Sempre do WWF, constatou que o atual modelo de navegação de barcaças no rio Paraguai tem causado danos à vegetação marginal e aos barrancos, além de provocar a destruição de diques naturais.

A expedição também detectou a presença do mexilhão dourado no entorno da RPPN Acurizal. O mexilhão dourado é uma espécie invasora altamente agressiva, que chegou a região transportado na água que serve de lastro dos navios mercantes. O Ministério do Meio Ambiente, através da Secretaria de Qualidade Ambiental/MMA já desenvolve um projeto visando o controle de sua dispersão.

No final de agosto, cerca de 26 representantes de diversas organizações, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento, a IUCN e a diocese de Cáceres, desceram o rio Paraguai, entre Cáceres/MT e Corumbá/MS, realizando visitas estratégicas ao Parque Pantanal, à Estação Ecológica Taiamã, à RPPN Acurizal e à aldeia Guató. A excursão revelou a real dimensão da riqueza e do grau de integridade do bioma, mas  também possibilitou a visualização dos impactos da navegação sobre as margens do rio Paraguai que necessitam de ações urgentes.

Os técnicos apontaram a reabilitação operacional das unidades de conservação, o maior controle das atividades de pesca, o desenvolvimento de alternativas e, principalmente, o ordenamento do ecoturismo, como prioridade e apresentaram as seguintes propostas para reverter a atuação: identificar agentes financiadores para projetos e pesquisa; buscar a preservação de amostras representativas de ecossistemas chaves; garantir o funcionamento dos processos ecológicos; agregar valor à produção sustentável; constituir na opinião pública massa crítica em favor do desenvolvimento sustentável do sistema de áreas úmidas; e desenvolver estudos históricos e etnográficos para fortalecer e promover os povos da região.

A Expedição é uma iniciativa do projeto "Ações de proteção para o Pantanal e Bacia do Alto Paraguai", apoiado pelo Comitê Holandês da União Internacional para Conservação da Natureza (NCIV-IUCN/SWP)

Clique aqui e veja também algumas fotos da I Expedição Rio Paraguai, Suas Águas, Sua Gente que mostra os impactos da navegação no rio Paraguai.