Menu

Abelhas – 6 maneiras de ajuda-las no seu fantástico trabalho em tempos de colapso

O mundo vive um colapso de polinizadores. As causas principais são o desmatamento e o uso de pesticidas.

Polinizadores
Publicado em 9 de setembro de 2016 às 15:21 Compartilhar:

 

Blog Alcides Faria

 

Alguns registros prévios sobre polinizadores.

- Hélices de turbinas para energia eólica causam mortes de morcegos – algumas espécies são polinizadoras.
- 75% das safras de alimento do mundo dependem de pelo menos 1 polinizador.
- Pesquisa recente da Universidade de Pardue (USA) encontrou no pólen trazidos pelas abelhas para suas colmeias pesticidas usados no meios urbano e rural no pólen. A mesma pesquisa mostrou que as abelhas preferem as plantas nativas.

As 6 maneiras.

1) – Não use pesticidas sintéticos.
Principalmente nas plantas de seu jardim, pois os polinizadores virão se alimentar nelas e transportarão o veneno para suas colmeias. Cuidado com sementes tratadas. Muitas delas são “protegidas” com nicotinoides, veneno mortal para abelhas.
Alguns ‘pesticidas’ naturais podem ajudar a resolver certas infestações indesejadas. Já utilizei uma calda feita com fumo de corda.

2) – Plantar espécies amigas.
Plante espécies que sejam “amigas” dos polinizadores, particularmente das abelhas. Nas minhas andanças noto que elas adoram a flor da pitanga. Esta planta se adapta bem no meio urbano e tem a vantagem de florir mais de uma vez no ano.

Se possível, dê preferencia para espécies nativas, pois muitos dos polinizadores evoluíram com essas plantas.

Pitanga. Foto: Alcides Faria

Pitanga. Foto: Alcides Faria

Flor de Jambo. Foto: Alcides Faria

Flor de Jambo. Foto: Alcides Faria

 

3) – Veja como uma abelha.
O espectro de visão das abelhas é mais ou menos como o dos humanos. Elas têm excelente percepção de cores, com deslocamento para ultravioleta. Mas, a que leva esta característica? O vermelho é visto por elas como verde.
Agora, imagine você a dificuldade para encontrar flores vermelhas em meio às folhagens!
Segundo especialistas as melhores cores seriam o amarelo, o branco, o violeta, o roxo, e o azul. Mas as vermelhas não são descartadas, pois elas “amam” algumas delas.

4) Pense como uma abelha.
Diversifique e agrupe plantas para facilitar o trabalho delas.
As abelhas vivem em colônias e colmeias, mas 70% de todas as espécies fazem ninhos subterrâneos, enquanto outras usam cavidades naturais. Então é importante deixar faixas com solos naturais, nus ou parcialmente cobertos.
Para aquelas abelhas que procuram ocos na madeira ou frestas pode-se buscar soluções com bambus e outras espécies.
Em algumas regiões as pessoas chegam a construir verdadeiros hotéis, como na imagem abaixo.

Os pesquisadores Daphne Myers e Scott Campbell de Lawrence, Kansas, desenvolveram um modelo de hotel para as chamadas "abelhas solitárias". Elas não formam colmeias como as abelhas e vespas mais conhecidas. Não têm rainha nem operárias - apenas uma única abelha e suas larvas.

Os pesquisadores Daphne Myers e Scott Campbell de Lawrence, Kansas, desenvolveram um modelo de hotel para as chamadas “abelhas solitárias”. Elas não formam colmeias como as abelhas e vespas mais conhecidas. Não têm rainha nem operárias – apenas uma única abelha e suas larvas.

5) – Ofereça água.
Deixe água disponível para as abelhas – um prato com algumas pedras, por exemplo -, principalmente na seca – junho/agosto -, isso lhes economiza energia em tempos que são difíceis devido a menor disponibilidade de alimentos. Claro, cuidar de fazer troca diária para não se ter um criadouro de pernilongos e outras pragas.

6)Não faça queimadas.
Queimadas danificam as colmeias e matam muitas abelhas e outros polinizadores. Evite até mesmo queimar os restos de vegetação do quintal.

Compartilhar: