Menu
Receba novidades no seu email

Notícias do Clima

Noticias selecionadas sobre o clima.

site_noticias_1857788
Publicado em 10 de março de 2017 às 13:24 Compartilhar:

Via Clima Info

“Nós crianças sabemos que os adultos conhecem os desafios e as soluções (da mudança do clima). Nós não sabemos por que há tão pouca ação”. Foi o que disse Felix Finkbeiner, então com nove anos, diante da Assembleia das Nações Unidas. Disse também que “se você deixar um macaco escolher entre pegar uma banana agora ou seis mais tarde, o macaco sempre vai escolher aquela uma banana de agora”. Daí que os adultos – para os quais o futuro é uma questão quase que acadêmica – e os que negam o aquecimento global não vão mesmo se mexer para resolver o problema. Já para ele e sua geração, o final do século faz parte da sua vida.
Hoje aos 19 anos, Felix está à frente da Plant for the Planet que já plantou mais de 14 bilhões de árvores em 130 países.
Lá trás, ele colocou como meta plantar um milhão de árvores. Esta meta foi atingida rapidamente e, em seguida, ampliada para um bilhão, desta vez junto com a ONU. Pouco depois, ele e sua turma perceberam que plantar um bilhão de árvores sequer triscaria o problema do clima. Fo i quando aumentaram a meta para o atual trilhão. Por aqui, o pessoal ligado ao Plant for the Planet já plantou 75 mil mudas de graviola e pinha no Nordeste.
Em tempo: Nossa NDC fala em recuperar e reflorestar doze milhões de hectares até 2030. Uma conta de padeiro indica que isto deve dar quase dez bilhões de árvores.
Talvez valha a pena chamar o garoto Felix para ensinar como se põe a roda para girar.
http://news.nationalgeographic.com/…/felix-finkbeiner-plan…/

SARNEY LANÇA O SINAFLOR
Anteontem o ministro Sarney Filho lançou o Sistema Nacional de Controle de Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor), que deverá estar totalmente implantado até o final do ano. O MMA diz que “a plataforma controlará todo o processo da origem da madeira, do carvão e de outros produtos e subprodutos florestais, além de rastrear desde autorização de exploração até o transporte, armazenamento, industrialização e exportação”. Uma matéria do Estadão resume as fraudes nos sistemas atuais de emissão das autorizações pelos estados: “Em vez de controle e monitoramento, o que se tem é um mercado paralelo de compra e venda de créditos fictícios da floresta. Na prática, os Estados criam suas florestas virtuais para promover o desmatamento de árvores reais”.
http://www.mma.gov.br/index.p…/comunicacao/agencia-informma…
http://sustentabilidade.estadao.com.br/…/geral,sistema-vai-…

MMA FARÁ AVALIAÇÃO TÉCNICA DA PROPOSTA DE REDUÇÃO DAS ÁREAS DE UCs DO AMAZONAS
Sarney Filho teve uma reunião com a bancada de deputados do Amazonas que querem tirar 1/3 das áreas das mais novas Unidades de Conservação. Em entrevista ao Estadão logo após a reunião, disse que “a responsabilidade desse assunto fica comigo e não avançará para o Congresso sem nossa avaliação técnica”. As cinco UCs na mira registram o maior desmatamento ilegal do estado e o projeto de lei visa legalizar e ampliar este desmatamento.
http://sustentabilidade.estadao.com.br/…/geral,ministerio-d…

A AMEAÇA DE TRUMP CONTRA A CALIFÓRNIA
Os EUA têm dessas curiosidades que acabam trazendo um tremendo impacto. O estado da Califórnia, por ter enfrentado durante anos a poluição de Los Angeles, tem uma autorização (waiver) especial do governo federal para impor limites mais restritivos às emissões veiculares aos carros que por lá transitam. Três outros estados e a área metropolitana de Nova York adotaram as regras californianas e, hoje, elas cobrem 40% da população americana. Nos últimos tempos, a Califórnia conseguiu estender a autorização para os gases de efeito estufa. É esta autorização que Trump e Pruitt podem tentar derrubar. Se conseguirem, para gáudio dos automossauros, os efeitos do retrocesso se estenderão por mais uma década, já que uma nova regra tem que ser incorporada ao projeto dos novos carros e isto leva um tempão até chegar às ruas. A Califórnia já prepara seu time legal para contestar qualquer mexida nas autorizações. A briga promete ser de gente bem grande.
https://www.theatlantic.com/…/trump-california-clea…/518649/

A DIFICULDADE DE RESSUSCITAR O CARVÃO AMERICANO
Uma das promessas de campanha mais repetidas por Trump ressuscitaria o carvão americano, principalmente nas minas ao longo do Apalaches. Logo no começo de fevereiro, ele e o congresso republicano já derrubaram pedaços importantes da legislação ambiental que, na visão deles, asfixiam a indústria e levaram à perda de 40 mil empregos, principalmente no Leste do país. Até agora, apesar das grandes comemorações, não houve uma contratação sequer. Um artigo do blog Político estima que o número de empregos quase não aumentaria, mesmo se todas as regulamentações de Obama fossem deletadas. E que um aumento eventual na demanda de carvão seria atendido pelo que já existe de produção em Wyoming, no Oeste, que, por sinal, é mais barato.
http://www.politico.com/…/the-obama-administration-idea-to-…

CHINESES BUSCANDO INSTRUMENTOS ECONÔMICOS PARA REDUZIR EMISSÕES
A China fez experiências em sete províncias com mercados do tipo cap-and-trade e anunciou no ano passado que iria criar um único mercado nacional até o final do ano. Mais, os europeus tinham começado conversas para alinhar o seu sistema de emissões com o dos chineses. Ontem, um porta-voz não oficial chinês disse numa entrevista que eles ainda estão estudando o tema. Parece que acham complicado criar um mercado artificial e definir cotas ou alocações de permissões de emissão num mundo de diversidades regionais, econômicas e mesmo inter-setoriais. Daí a estarem pensando em implantar um imposto ou taxa sobre as emissões.
Interessante que isto alinharia os chineses com o que pediram ex-altos dignitários republicanos há duas semanas.
Por aqui praticamente não temos notícia de discussões sobre mercados e impostos.
http://www.climatechangenews.com/…/china-floats-split-eu-c…/

PETROLEIRA AMERICANA PEDE PARA TRUMP PERMANECER NO ACORDO DE PARIS
As petroleiras estão sempre chamando a atenção. Nesta última semana tivemos a recuperação do filminho da Shell, que já em 1991 previa as consequências do aquecimento global, e o pessoal da Chevron se preparando para ações climáticas judiciais que podem vir contra ela. Ontem foi a vez de a ConocoPhillips dizer que Trump deveria manter os EUA dentro do Acordo de Paris. Ela se alinha assim com outras petroleiras como a Exxon, BP e Shell que apoiam o acordo. O Acordo favorece o gás natural em detrimento do carvão. E o gás será parte cada vez mais importante do portfólio das petroleiras.
http://thehill.com/…/322796-conocophillips-head-trump-shoul…

UMA CIDADE CHINESA QUER BOMBEAR ÁGUA DO LAGO RUSSO BAIKAL
Lanzhou fica no norte da China, meio que perto da fronteira com a Mongólia e seu enorme deserto de Gobbi. Lanzhou sempre sofreu com o abastecimento de água. Eles estão estudando a possibilidade de construir um sistema para trazer água do Lago Baikal. Para quem chamou de faraônica a transposição do São Francisco com seus 700 km de canais ao longo de dois eixos, o sistema chinês vai percorrer mais de 1.000 km, atravessando o deserto de Gobbi de norte a sul. A engenharia, construção e operação vão enfrentar temperaturas que variam entre -43°C nas noites de inverno a 40°C ao meio dia do verão. É um projeto para concorrer com a Grande Muralha que, por sinal, passa por Lanzhou no seu trecho Oeste.
https://www.theguardian.com/…/parched-chinese-city-plans-to…
https://www.travelchinaguide.com/china_great_wall/map/

UM ADOLESCENTE PLANTANDO UM TRILHÃO DE ÁRVORES
“Nós crianças sabemos que os adultos conhecem os desafios e as soluções. Nós não sabemos por que há tão pouca ação”. Palavras de Felix Finkbeiner, então com nove anos, diante da Assembleia das Nações Unidas. Ele disse também que “se você deixar um macaco escolher entre pegar uma banana agora ou seis mais tarde, o macaco sempre vai escolher aquela uma banana de agora”. Daí que os adultos – para os quais o futuro é uma questão quase que acadêmica – e os que negam o aquecimento global não vão mesmo se mexer para resolver o problema. Já para ele e sua geração, o final do século faz parte da sua vida. Hoje aos 19 anos, Felix está à frente da Plant for the Planet que já plantou mais de 14 bilhões de árvores em 130 países. Lá trás, ele colocou como meta plantar um milhão de árvores. Esta meta foi atingida bem rapidamente e, em seguida, ampliada para um bilhão, desta vez junto com a ONU. Pouco depois, se deu conta que plantar um bilhão de árvores não ia triscar o problema do clima e aumentou a ambição para o atual trilhão. Por aqui, o pessoal ligado a ele já plantou 75.000 mudas de graviola e pinha no Nordeste.
Em tempo: Nossa NDC fala em recuperar e reflorestar doze milhões de hectares até 2030. Uma conta de padeiro indica que isto deve dar quase dez bilhões de árvores.
Talvez valha a pena chamar o moço para ensinar como se põe a roda para girar.
http://news.nationalgeographic.com/…/felix-finkbeiner-plan…/

80% DOS OCEANOS SOFRERÃO MUDANÇAS ATÉ 2050
Cientistas do British National Oceanography Centre disseram ontem que, até 2050, 80% da água dos oceanos estará mais ácida e mais quente. Hoje, as mudanças atingem 10% dos oceanos. Para a vida marinha, estas mudanças impactam diretamente as cadeias alimentares e em velocidade tal que torna ainda mais difícil sua adaptação. Para complicar ainda mais o jogo, águas mais quentes seguram menos oxigênio e menos nutrientes. Estudos agora se voltam para as velocidades com que as espécies irão se adaptar. Em princípio, muitas deverão migrar para os polos, atrás das águas frias nas quais vivem. Mas as espécies que até ontem viviam nas águas do Ártico e em torno da Antártica não terão muito para onde correr.
http://www.reuters.com/…/us-climatechange-oceans-idUSKBN16E…

Compartilhar: