Menu
Receba novidades no seu email

Parlamentar da REDE em Campo Grande assume a coordenação nacional da Frente de Vereadores Ambientalistas

O vereador da Rede Sustentabilidade em Campo Grande (MS) Eduardo Romero assume nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, o posto de coordenador nacional da Frente Parlamentar de Vereadores Ambientalistas.

Eduardo-Romero-para-site
Publicado em 15 de fevereiro de 2017 às 15:10 Compartilhar:

Via Rede 18 Sustentabilidade

 

O vereador da Rede Sustentabilidade em Campo Grande (MS) Eduardo Romero assume nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, o posto de coordenador nacional da Frente Parlamentar de Vereadores Ambientalistas. O parlamentar deverá ficar à frente do grupo nos próximos quatro anos. Entre as suas principais metas, está o de difundir que o conceito de sustentabilidade vai muito além de preservação do meio ambiente.
A posse acontecerá a partir das 8h30, em solenidade que acontece no Restaurante Senac da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). O evento contará com as presenças do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, o coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), o presidente do SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani, além de integrantes de entidades e da sociedade civil.
“Vamos dar continuidade aos trabalhos, agora com maior amplitude para mostrar ao público que a sustentabilidade não é só defender o meio ambiente. Ela trabalha a saúde, a economia, ou seja, todo sistema de manutenção da vida”, explicou Romero. Sobre suas prioridades em nível regional, o parlamentar destacou que sua meta será debater uma legislação específica para o Pantanal para abranger o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul.

Ainda de acordo com o vereador, assumir o posto de coordenador nacional é uma grande responsabilidade, pois passará a atuar com questões que abrangem todo o país, como a vasta biodiversidade existente no Brasil, os seus biomas. O parlamentar aponta a política nacional de resíduos sólidos como um dos seus grandes desafios no cargo. “Muitos municípios ainda não conseguiram implantar de fato uma política de coleta e tratamento de resíduos sólidos E essa realidade não está longe de nós, pois aqui em Campo Grande, o segmento também ainda deixa a desejar”, lamentou.
Romero apontou que dos 5.564 municípios brasileiros, cerca de 2,2 mil conseguiram até agora dar destino ambientalmente correto aos resíduos produzidos, conforme levantamento do ministério do Meio Ambiente junto aos estados. O estudo atende a uma política nacional que delimitava até agosto de 2014 a destinação correta dos rejeitos, conforme a Lei nº 12.305/10.

Atuação na sustentabilidade
Vereador pelo segundo mandato seguido, Eduardo Romero tem forte atuação na área da sustentabilidade. Antes de assumir o comando nacional, o parlamentar ocupava o mesmo cargo na Coordenação da região Centro-Oeste desde 2014. Ele também ajudou a estruturar todo esse colegiado nas instâncias municipais, estaduais e federais desde o início em 2013.
Ainda em 2013, Romero ocupou a coordenação estadual no Mato Grosso do Sul. Desde então, auxiliou vereadores e prefeituras do estado na criação de algumas secretarias municipais de meio ambiente, palestrou sobre resíduos sólidos, recursos hídricos, legislação ambiental, auxiliou na realização de eventos e promoveu orientações aos gestores e parlamentares como foi o exemplo do Seminário sobre ICMS Ecológico.
“No Mato Grosso do Sul, a frente também conta com a participação dos nossos colaboradores. São representantes da fundação SOS Pantanal, da OAB e de outras entidades importantes. Isso mostra que conseguimos envolver a sociedade nesse tema”, ponderou Romero.

Enquanto esteve tanto como coordenador estadual e da região Centro-Oeste, o vereador contou que colheu bons frutos desse período. Dos 833 vereadores existentes no Mato Grosso do Sul, 172 passaram a integrar a Frente Parlamentar de Vereadores Ambientalistas. De um total de 79 cidades no seu estado, 52 contam com parlamentares integrados à frente. “Por meio de um trabalho desses representantes, conseguimos viabilizar a implantação de secretarias municipais do meio ambiente.

 

Compartilhar: